top of page
Background.png
Header_Site3.png
  • Foto do escritorAna Bia Andrade

Festival de Cinema de Gramado 2023 divulga os seus primeiros filmes selecionados

A 51ª edição do evento conta com Mais Pesado é o Céu e Cangaço Novo entre os títulos escolhidos

Foto: Divulgação


Nesta terça-feira (4), foram anunciados os títulos escolhidos para o Festival de Cinema de Gramado, que acontecerá entre os dias 11 e 19 de agosto. Os títulos serão exibidos no tradicional Palácio dos Festivais, na cidade de Gramado, na serra gaúcha.


Dentre os escolhidos pela curadoria do evento estão seis longas-metragens brasileiros, cinco longas-metragens documentais, cinco longas-metragens gaúchos e 23 curtas gaúchos. Ainda na próxima semana, serão anunciados os curtas-metragens brasileiros e também as homenageadas com os troféus Eduardo Abelin e Cidade de Gramado.


O curador do festival, Marcos Santuario, falou sobre o processo seletivo do evento e como a estima pela pluralidade foi importante entre os filmes inscritos. “Essa é uma das seleções mais potentes dos últimos anos, e também uma das mais difíceis. Foram muitos filmes inscritos, e muitos filmes bons. Nossa busca foi por manter a qualidade, sempre com um olhar para produções criativas e que contemplem elementos inovadores. Observar a diversidade geográfica e narrativa, dando espaço para consagrados realizadores e novos talentos que surgem nas produções nacionais, também foram questões às quais nos atemos”, conta.


Com grande apreço pela diversidade do audiovisual brasileiro, a lista de selecionados conta com produções do Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste do país. Vale enfatizar também a grande variedade de gêneros dos projetos escolhidos, englobando thriller, drama, ficção, biografia e documentário.


Nesse sentido, a região Nordeste está sendo representada pelo longa-metragem cearense Mais Pesado é o Céu, do diretor Petrus Cariry. O filme conta a história de Teresa que, após acolher uma criança abandonada, conhece Antônio e os dois iniciam uma jornada pelas estradas. O passado em comum, para eles, são as memórias de uma cidade submersa no fundo de uma represa. Matheus Nachtergaele, Ana Luiza Rios, Sílvia Buarque, Danny Barbosa, Marcos Duarte e Buda Lira são alguns dos nomes que integram o elenco.

Foto: Divulgação


Vale destacar também que, pela primeira vez, o Festival de Gramado terá uma série entre suas atrações. Estamos falando de Cangaço Novo, original Amazon, de oito episódios, que estará disponível no Prime Video a partir do dia 18 de agosto. A obra conta a história de Ubaldo, interpretado por Allan Souza Lima. O personagem é um bancário infeliz da zona urbana de São Paulo sem nenhuma lembrança de sua infância. Ubaldo descobre, então, que tem uma herança e duas irmãs no sertão cearense, Dilvânia, que lidera um grupo que adora seu famoso pai falecido, e Dinorah, a única mulher em uma gangue de ladrões de banco.


Confira a lista dos primeiros títulos anunciados para o Festival de Cinema de Gramado 2023:


LONGAS-METRAGENS BRASILEIROS

  • Angela, de Hugo Prata (SP)

  • Mais Pesado é o Céu, de Petrus Cariry (CE)

  • Mussum, o Filmis, de Silvio Guindane (RJ)

  • O Barulho da Noite, de Eva Pereira (TO)

  • Tia Virgínia, de Fabio Meira (RJ)

  • Uma Família Feliz, de José Eduardo Belmonte (PR)

LONGAS-METRAGENS DOCUMENTAIS

  • Anhangabaú, de Lufe Bollini (SP)

  • Da Porta pra Fora, de Thiago Foresti (DF)

  • Luis Fernando Verissimo: O Filme, de Luzimar Stricher (RS)

  • Memórias da Chuva, de Wolney Oliveira (CE)

  • Roberto Farias: Memórias de um Cineasta, de Marise Farias (RJ)

LONGAS-METRAGENS GAÚCHOS

  • Céu Aberto, de Elisa Pessoa (Dom Pedrito)

  • Hamlet, de Zeca Brito (Porto Alegre)

  • O Acidente, de Bruno Carboni (Porto Alegre)

  • Sobreviventes do Pampa, de Rogério Rodrigues (Porto Alegre)

  • Um Certo Cinema Gaúcho de Porto Alegre, de Boca Migotto (Porto Alegre)

CURTAS-METRAGENS GAÚCHOS

  • As Ondas, de Leandro Engelke e Richard Tavares (Porto Alegre)

  • Aurora, de Bruna Ueno (Pelotas)

  • Carcinização, de Denis Souza (Pelotas)

  • Centenário da Minha Bisa, de Cristyelen Ambrozio (Alvorada)

  • Colapso Terra em Chamas, de Lucas Tergolina e Matheus Melchionna (Porto Alegre)

  • Combustão Espontânea, de João Werlang e Pedro Bournoukian (Pelotas)

  • Concha de Água Doce, de Lau Azevedo e João Pires (Porto Alegre)

  • Concorso Internazionale, de Bruno de Oliveira (Porto Alegre)

  • Eu Tibano, de Diego Tafarel e Zé Corrêa (Santa Cruz do Sul)

  • Fiar o Vento, de Mari Moraga (Porto Alegre)

  • Fitoterapia, de Eduardo Piotroski (Porto Alegre)

  • Flora, de Ana Moura (Porto Alegre)

  • Glênio, de Luiz Alberto Cassol (Santa Maria)

  • Livra-me, de Felipe da Fonseca Peroni (Santa Cruz do Sul)

  • Messi, de Henrique Lahude e Camila Acosta (Encantado)

  • Meu Nome é Leco, de Diana Mesquita e Marina Falkembach (Porto Alegre)

  • Nau, de Renata de Lélis (Porto Alegre)

  • O Tempo, de Ellen Correa (Porto Alegre)

  • Os Féders Vão Dormir, de Eder Ramos (Esteio)

  • Rasgão, de Victor Di Marco e Márcio Picoli (Porto Alegre)

  • Restaurante, de Leonardo da Rosa (Taquari)

  • Sabão Líquido, de Fernanda Reis e Gabriel Faccini (Porto Alegre)

  • Tremendo Trovão, de Rubens Fabricio Anzolin (Porto Alegre)



Comments


bottom of page