top of page
Background.png
Header_Site3.png
  • Foto do escritorAna Bia Andrade

Crítica | Força Bruta (The Roundup)

Divertido e especialmente brutal

Divulgação: Paris Filmes


Não é um eufemismo dizer que Ma Dong-seok, também conhecido como Don Lee, é uma verdadeira força da natureza. O ator de longas como ‘Champion’ (2018), ‘Eternos’ (2021) e ‘Invasão Zumbi’ (2016) consegue extrair o máximo de seus personagens e aplicar todas as boas qualidades que um profissional da atuação poderia oferecer para um filme. É nesse sentido que ‘The Roundup: Força Bruta’, a sequência do longa ‘The Outlaws: Os Fora da Lei’ (2017) se estabelece como mais uma prova viva do carisma e irreverência de Don Lee.


O longa de origem coreana traz o “beast-cop” Ma Seok-do (Don Lee) em uma suposta curta missão de ir até o Vietnã e extraditar um criminoso fugitivo. É nesse momento quando, junto de seu capitão de força tarefa Jeon II-man (Guy-hwa Choi), Ma descobre uma complicada linha de sequestros e assassinatos cometidos contra turistas pelo terrível Kang Hae-sang (Sukku Son). A unidade precisará rastrear esse mortal assassino e tentar impedir que o seu número de vítimas aumente ainda mais.

Divulgação: Paris Filmes


Seja em uma sala de investigação, em um estacionamento de carros ou até mesmo em uma escada rolante, ‘The Roundup: Força Bruta’ não falha ao entregar cenas de ação impactantes, alucinantes e sangrentas! Todas as cenas são coreografadas com precisão absoluta, sem medo de ultrapassar os seus próprios limites de violência. Entretanto, também é possível pontuar que certas sequências são submetidas a altas doses de clichê - a famosa receita que dá certo. Sim, é óbvio que sabemos exatamente o que irá acontecer a partir do momento em que Ma Seok-do entra em cena com uma boa música de fundo como trilha sonora. Realmente é fato que Don Lee é a personificação do bom protagonista que consegue captar a atenção da audiência na primeira meia hora de filme. Não muito distante, Sukku Son serve um prato cheio ao interpretar, com uma frieza cortante (literalmente), o assassino em série Kang.


Com uma montagem rápida e takes dinâmicos, o longa conta com a direção de Sang-yong Lee, que também é responsável pelo roteiro adaptado. Infelizmente, o filme peca no que diz respeito ao seu rápido desenrolar de eventos. Um exemplo disso é a “destreza” com que o policial Ma Seok-do consegue ler os rastros do criminoso em questão e rapidamente chegar até ele em diversos momentos do filme. Consequentemente, alguns espectadores podem sentir que o elemento suspense poderia ser melhor executado.

Divulgação: Paris Filmes


Contudo, seu roteiro, apesar de não possuir resoluções inovadoras, consegue passar credibilidade e coesão, de forma com que todos os personagens apresentados, incluindo coadjuvantes, consigam cumprir seus objetivos e operar para o bom funcionamento do longa. Não se trata de um filme cuja intenção nunca foi proposta antes, muito pelo contrário. ‘The Roundup: Força Bruta’ não possui planos prepotentes e é exatamente aquilo que se propõe a ser: um bom filme de ação, regado de alívios cômicos e de socos bastante satisfatórios.


Depois do sucesso global de produções asiáticas como ‘Squid Game’ e do “boom” dos k-dramas nos serviços de streaming, ‘The Roundup: Força bruta’ consegue potencial o suficiente para conquistar o grande público mundial e se tornar uma franquia policial bem estabelecida na indústria dos blockbusters.


‘The Roundup: Força Bruta’ chega aos cinemas brasileiros no dia 17 de novembro.


Nota: 3,5/5

Posts recentes

Ver tudo

Kommentarer


bottom of page