top of page
Background.png
Header_Site3.png
  • Foto do escritorGabriel Sousa

Os melhores filmes do Festival de Toronto 2022

'The Whale', 'Women Talking' e 'Holy Spider' figuram no top 10.

Divulgação: A24


Após 10 dias e quase 45 filmes vistos, o Festival de Cinema de Toronto 2022 acabou oficialmente e não poderíamos de deixar de fazer uma listinha com os filmes que mais gostamos de assistir no evento. Sim, sabemos que atrasamos, mas o importante é que veio aí.


Então vamos lá, os melhores filmes do TIFF 2022 foram:


1. The Whale - Confira nossa crítica


Mais um sucesso de Darren Aronofsky, conta com incríveis performances de Brendan Fraser, Sadie Sink e Hong Chau. O filme consegue ser claustrofóbico e incômodo ao mesmo tempo que mantém o espectador preso no filme durante toda a sua duração.

Courtesy of TIFF


2. The Banshees of Inisherin


Martin McDonagh entrega mais uma perfeita combinação de comédia e drama, fazendo o espectador refletir sobre as amizades, suas relações, e quanto amamos os nossos dedos. Colin Farrell, Brendan Gleeson, Kerry Condon e Barry Keoghan nos transportam para a ilha fictícia de Inisherin, entregando-nos momentos hilários.

Courtesy of TIFF


3. Joyland (Paquistão)


O filme consegue capturar perfeitamente a dinâmica da família paquistanesa, fazendo a audiência passar por uma montanha russa de emoções. Conta com visuais e direção de arte incríveis, que consegue nos levar a diferentes e contrastantes locais do Paquistão.

Courtesy of TIFF


4. All Quiet on the Western Front (Alemanha)


O remake do clássico filme consegue trazer o lado pesado da guerra e passar sua mensagem sem a força na goela do espectador, coisa que ‘The Greatest Beer Run Ever’ fala miseravelmente. Uma possível grande aposta no filme internacional da Netflix que mais um ano consegue emplacar um grande nome durante os festivais.

Courtesy of TIFF



A ótima comédia romântica continua usando a tradicional fórmula básica do gênero, mas consegue sair da mesmice dos recentes filmes. Creio que ninguém que vá assistir consegue sair odiando-o. Um dos mais engraçados do ano.

Courtesy of TIFF


6. Os Fabelmans - Confira nossa crítica


Mais um grande acerto de Steven Spielberg, que consegue capturar sua infância e adolescência, sem esconder os seus defeitos. Perfeitamente capturando o amor de um jovem com o cinema, o diretor consegue entregar um lado que não o tínhamos visto explorar. O filme também conta com uma performance incrível de Gabriel LaBelle e Michelle Williams.

Courtesy of TIFF


7. Women Talking


Sarah Polley consegue adaptar o livro de mesmo nome, entregando uma incrível e difícil conversa, que mulheres de uma comunidade têm que ter para decidir o seu futuro. Jessie Buckley e Claire Foy são o principal destaque do filme, que tem como seu principal erro uma escolha visual.

Courtesy of TIFF


8. Holy Spider (Dinamarca)


O longa consegue mostrar a pesada história de uma jornalista que tenta achar um serial killer. A parte mais interessante do filme é que ele consegue chocar e amedrontar, ao mesmo tempo que nunca mostra coisas que infelizmente fazem parte e acontecem na sociedade atual..

Courtesy of TIFF


9. EO (Polônia)


Mesmo sendo curto, ele consegue nos levar a lugares extremamente diferentes ao nos mostrar a jornada de um burro. Com um visual e ponto de vista único, o filme consegue capturar a essência do animal que desta vez carrega a história nas costas.

Courtesy of TIFF


10. Triangle of Sadness


Não surpreende ninguém que o ganhador da Palma de Ouro esteja entre os melhores filmes do festival. Ruben Östlund consegue trabalhar os temas que propõem, ao mesmo tempo que assistimos algumas das situações mais inusitadas, que infelizmente se tornam realistas na visão do diretor. Dolly De Leon é o principal destaque do filme, que só erra ao introduzir sua personagem somente no terceiro ato.

Courtesy of TIFF


11. Weird: The Al Yankovic Story - Confira nossa crítica


Uma das maiores surpresas do festival, o filme consegue acertar perfeitamente o tom que propõe, entregando uma ótima comédia. Daniel Radcliffe pode não estar perfeito, mas consegue entregar um personagem que nos lembra de Al, ao mesmo tempo que definitivamente não é a grande figura que conhecemos.

Courtesy of TIFF


12. R.M.N (Romênia)


Mostrando a xenofobia de habitantes de uma pequena cidade contra novos imigrantes que vão trabalhar em uma fábrica local, o filme romano consegue demonstrar a triste realidade de muitos lugares no mundo. Apesar de ter um começo lento, ele consegue se encontrar e fluir até o fim, mesmo quando sai da história principal.

Courtesy of TIFF


13. Glass Onion: Um Mistério Knives Out - Confira nossa crítica


Uma bela sequência ao seu maior sucesso original ‘Knives Out’. Com uma nova leva de personagens interessantes que se encontram em uma situação inusitada, o diretor reverte a fórmula do “Who-done-it?” nos mantendo cativados pelo longo filme. Daniel Craig está bem na sua volta como o detetive Benoit Blanc, mas o destaque é Janelle Monáe.

Courtesy of TIFF


14. Carvão (Brasil) - Confira nossa crítica


Com uma incrível crítica social à atual sociedade brasileira, a roteirista Carolina Markowicz consegue entregar um fantástico primeiro longa como diretora. Deixando a audiência refletir sobre suas reações à situação apresentada, o longa consegue colocar o público no centro da família apresentada.

Courtesy of TIFF


15. Nanny


O suspense/terror entrega uma das minhas performances preferidas do festival, vinda de Anna Diop. O filme consegue passar do terror psicológico, e entrega temas incrivelmente relevantes à sociedade atual, ao mesmo tempo que deixa a audiência intrigada durante toda a sua duração.

Courtesy of TIFF


16. Pearl


O filme não consegue ser tão bom quanto o seu antecessor, ‘X’, mas ainda é um ótimo uso de seu tempo ao ver a história de uma mulher movida pelo seu sonho. Ele consegue misturar o terror com o cinema clássico dos anos 30/40, dando espaço para Mia Goth brilhar, em uma das melhores performances do ano até agora.

Courtesy of TIFF


17. Leonor Will Never Die


Apesar de ser um filme que não vai agradar a todos, Martika Ramirez Escobar consegue capturar a essência e amor ao cinema nacional, mostrando uma linda história sobre uma cineasta aposentada que ao entrar em um como acaba sonhando com o filme que sempre quis produzir. Ele até funciona muito bem como filme de ação, sempre mantendo seu estilo único que ao mesmo tempo que satiriza, vangloria o cinema filipino.

Courtesy of TIFF


18. The Inspection


Jeremy Pope brilha no longa que explora um personagem que decide tentar entrar no exército. O filme que conta com visuais deslumbrantes consegue usar todo o talento de Pope que está excepcional, principalmente quando contracenando com Gabrielle Union.

Courtesy of TIFF


19. Return to Seoul (França/Coreia do Sul)


A atriz estreante Park Ji-Min entrega uma das melhores atuações do ano, neste drama que explora a relação de pessoas que migraram jovem com suas terras natais. O filme poderia ser um pouco menor, mas ainda brilha ao explorar relações familiares, adoção e imigração.

Courtesy of TIFF


20. Causeway


Jennifer Lawrence consegue entregar uma boa atuação no longa que explora o trauma de uma soldada que volta à sua cidade natal. O filme brilha ao explorar outros lados de sua personagem, principalmente sua relação com o personagem de Brian Tyree Henry, que está tão bem quanto Lawrence.

Courtesy of TIFF


21. Wendell & Wild

22. Miúcha: A Voz da Bossa-Nova (Brasil)

23. Valeria is Getting Married

24. The Eternal Daughter

25. The Good Nurse

26. Other People's Children (França)

27. Emily

28. Aristotle and Dante Discover the Secrets of the Universe

29. Empire of Light

30. The Lost King

Courtesy of TIFF


31. La Jauria (Colômbia)

32. Raymond & Ray

33. Moving On

34. Devotion

35. Allelujah

36. The Son - Confira nossa crítica

37. My Policeman

38. A Jazzman's Blues

39. The Greatest Beer Run Ever

40. Mato Seco em Chamas (Brasil)

41. Butchers's Crossing

42. Prisioner’s Daughter


Courtesy of TIFF

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page